Piadinha do Campinaremos.
O número de casos da nova gripe A (H1N1) chegava a 1.516 às 6h GMT (3h de Brasília) desta quarta-feira (6), em 23 países, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), com 30 mortes -29 no México, 1 nos EUA.
E não se fala em outra coisa desde a semana passada.

*Piada Nerd mode On*
E até agora não surgiu uma Umbrela Corporation para resolver a situação.
*Piada Nerd mode Off*

O mundo parou de falar na Crise Financeira e começou a falar da Gripe que mata, e nos útimos dias até que parou de matar. Será que o ser humano conseguiu criar anticorpos para ela?

Então fui pesquisar sobre Grandes Pandemias que o mundo teve. Essas são 3 delas:

1. A peste peloponesa

A primeira pandemia da História foi descrita por Tucídides. Em 430 aC, durante a guerra do Peloponeso entre Atenas e Esparta, o historiador grego disse que uma grande peste havia dizimado cerca de 30.000 cidadãos de Atenas (aproximadamente um terço de todos os atenienses morreram).

Tucídides descreveu a doença: “Pessoas em boas condições de saúde eram subitamente atacadas por violentas dores de cabeça, vermelhidão e inflamação nos olhos. As partes internas, como a garganta ou língua acabaram sangrando e exalando um odor fora do normal.” Depois disso, vinha tosse, diarréia, espasmos e úlceras cutâneas. Várias pessoas sobreviveram, mas muitas delas sem os dedos, cegos e até sem os órgão genitais.

2. A peste de Antonine

Em 165 dC, o médico grego Galeno descreveu uma antiga pandemia, cujos sintomas vitimaram Marcus Aurelius Antoninus, um dos imperadores romanos. A doença chegou a matar cerca de 5.000 pessoas por dia em Roma.

3. A peste de Justiniano

Em 541-542 dC, uma doença mortal atingiu o Império Bizantino. No auge da infecção, a doença, que ficou conhecida como Peste de Justiniano, matou cerca de 10.000 pessoas em Constantinopla. A doença foi causada pela bactéria Yersinia Pestis, transmitida ao ser humano através das pulgas dos ratos-pretos. Sem lugares disponíveis para enterrar as vítimas, os corpos eram empilhados em espaços abertos.

Até o fim do surto, quase metade dos habitantes da cidade estavam mortos. Historiadores acreditam que o surto dizimou um quarto da população na região Leste do Mediterrâneo.

Este surto, o primeiro de peste bubônica registrado na história humana, marcou o primeiro de muitos focos de peste.

Mais outras duas você encontra aqui.

1 comentários:

Carlos Rafael disse...

Que negóciéeeeeesse rapá

c ta informado heim

legal saber dessas curiosidades bubonicas.

mas esteja avisado!

espirrou perto de mim

tchau!

ahaha

a.. a... aaaaaaa......tchoxo!